sexta-feira, junho 30, 2006

Gary Burton na casa da Música

Em 23 de Setembro o Porto recebe novamente Gary Burton, depois de este nos ter proporcionado nos anos 80 um concerto memorável no Carlos Alberto.

Nascido em 1943 em Indiana, Gary Burton começou a tocar vibrofone e com 17 anos gravou o seu primeiro disco com o guitarrista Chet Atkins. Em 64 iniciou uma colaboração com o saxofonista Stan Getz, integrando o seu quarteto. Em 67 formou o seu próprio quarteto, tendo em 68 ganho o prémio de Jazzman of the Year. O quarteto tornou-se quinteto com a integração de Pat Metheny. Em 71 ganhou um Grammy com o seu album ao vivo Alone at Last, concerto a gravado a solo em 71 no Festival de Jazz de Montreux . Burton também integrou duetos notáveis com o baixista Steve Swallow ( que o acompanhou nessa vinda ao Porto), o guitarrista Ralph Towner ou o pianista Chick Corea, com o qual tem uma prolifica produção discográfica.

Em 98 o album Like Minds, integrando seus colaboradores habituais como Chick Corea, Pat Metheny, Roy Haynes, and Dave Holland,proporcionou-lhe o seu cinco Grammy. Em 2002 lançou em colaboração com Makoto Ozone o album Virtuosi onde explora as possibilidades de improvisação em temas clássicos de Brahms, Scarlatti, Ravel, Barber o que lhe valeu uma nomeação para os Grammy em música erudita.Em 2005 lança o album Next generations e lança-se à estrada com Pat Metheny, Chick Corea, Richard Galliano e Polo Orti.

No Porto vamos vê-lo na casa da Música com Chick Corea. Ambos integram o naipe das lendas vivas do jazz. Concerto imperdível

quarta-feira, junho 28, 2006

QUARTO DE HOTEL ( 10) Brenner Park

Muito se tem falado ultimamente em Baden-Baden, por força dos passeios que David e Victória por lá têm dado. Tive oportunidade de por lá passar em Agosto de 2003, tendo pernoitado no Brenner Park, que é para muitos considerado o melhor hotel da Alemanha, integrando as listas do Zagat, Condé Nast Travel e Travel+Leisure dos melhores hotéis do Mundo.


Baden-Baden é a cidade termal mais "in" da Alemanha. Como qualquer estância termal é frequentado essencialmente por pessoas na idade madura ( leia-se septua/octogenários). Além das termas tem uma actividade social intensa, com os chás e o passear dos cães, casino e corridas de cavalos. Assim é usual ver passar as damas de chapéu e os cavalheiros engravatados a caminho das corridas numa soalheira tarde de Verão.

É essa gente que frequenta o Brenner Park. O que faz dois casais com crianças, adultos e crianças em shorts, sentirem-se em casa a atravessarem o lobby do hotel por entre as toilettes. Felizmente, fizemos do Hotel base para explorar a Floresta Negra ( e uma expedição a Colmar ) pelo que do Hotel quase só conhecemos os quartos, os jardins e o spa.










E que Spa. O Brenner’s Spa, tem uma piscina coberta divinal, dimensões generosas e de beleza extrema, abrindo-se para o jardim. O Saunarium Spa inclui banho turco, turco aromático, relaxarium de oxigénio, biosauna, sauna finlandesa com o respectivo poço de água gelada, jacuzzis individuais e colectivos, e lounge de relaxamento. Como aviso à navegação diga-se que as saunas são mistas e os hóspedes apenas lá podem entrar com toalha. Como o Hotel é maioritáriamente ocupado pela terceira idade o Spa estava Às moscas quando o visitei. Oferecem-se igualmente massagens e tratamentos de beleza com produtos Bulgari.

Os quartos de dimensões generosas têm decoração clássica, com todo o conforto da modernidade. Evite os quartos do último piso ( na realidade águas furtadas).

O restaurante, que não visitei tem uma estrela Michelin e 17/20 no Gault-Millau.


Brenner's Park – Hotel & Spa Schillerstr. 4-6, 76530 Baden-Baden, Germany
Tel:
(+49-7221) 9000
Fax: (+49-7221) 38772



PS: A selecção da Inglaterra ficou no Schlosshotel Buhlerhoe, mais afastado da cidade, já no paraíso da Floresta Negra, como se pode ver na foto. Mais "modesto", é igualmente um cinco estrelas que na Expedia fica por 140€ em Agosto ( no Brenner onde paguei 350€/noite os preços estão probitivos, acima de 600€).


segunda-feira, junho 26, 2006

Selecção Nacional


Abro uma excepção, para falar aqui de futebol ( esse geralmente fica aqui) embora por um aspecto lateral ao jogo.

Antes do Mundial muitos disseram que esta não era a selecção de Portugal mas sim a selecção do Scolari. Esses enganaram-se na selecção do artigo definido. Não era "do" mas "à" a selecção correcta.

Ontem vimos uma Selecção à Scolari. Garra, espirito de corpo, capacidade de resistir Às contrariedades, alma lusitana.

Bebida - Vodka Laranja


Nunca gostei de Vodka Laranja. Na minha juventude quando saía à noite muitos amigos meus pediam tal bebida. Depois de experimentar não voltei a pedir. Hoje percebi porquê.

O sumo da laranja não prestava. Ou era falso e sem fair-play, ou feito de laranjas podres e amargas, capazes até de aniquilarem a doçura do açúcar extraido da cana madeirense.

E o vodka era sempre de segunda, não estando à altura dos acontecimentos. Rótulos amarelos ou vermelhos, Eristoff ou Ivanoff, Absolut...amente inqualificável.

Por isso para mim Vodka-Laranja só no lixo. Felizmente o sr. Blatter também acha o mesmo, e por isso em Munique não vou ter Caipiroska.

Franken Stadion


Desta vez não pude assistir in loco, no Franken Stadion, ao jogo de Portugal. Vivi as emoções do jogo junto com amigos ( e com todos os que me acompanharam na Alemanha). Claro, as calças, a camisola, os sapatos eram os mesmos que usamos nos outros jogos. As emoções foram fortes mas não quero imaginar como teriam sido no Estádio, onde tudo é mais intenso, amplificado pela vibração da multidão. Que linda deve ter sido a festa nas bancadas, onde os portugueses ficaram (como com o Irão) muito para lá do fim do jogo, e no centro de Nurnberg.

Mas desta vez pudemos celebrar com as nossas famílias, que sentiram a nossa falta e de quem tivemos muitas saudades naqueles dias. E vamos voltar a sentir porque voltamos a Munique e vamos à bola a Berlim.

quinta-feira, junho 22, 2006

O Mundial é uma Festa (2)

Português desde pequenino

México convive com Irão

Marktrouxe de Inglaterra o seu filho David para vibrar com Portugal

Caravana Lusitana

Iran festeja derrota com Portugal

Lost in Translation

Catedrais

Frankfurt

Frankfurt

Schwabisch Hall

Gelsenkirchen

Antwerp

sexta-feira, junho 16, 2006

24


Está à venda na FNAC a 4ª série de "24", fantástica série de acção em tempo real em que seguimos uma brigada anti-terrorista em L.A., o CTU, e o protagonista Jack Bauer (Kiefer Sutherland).

Mas para os verdadeiros amantes da série anotícia é que a 20 de Outubro é lançada a 5ª série, na amazon.uk, antes mesmo do seu lançamento nos USA. E claro muito antes da sua estreia em TV.

Aliás, esta série, pelas suas características deve ser vista em DVD e não em TV. Como a sua acção decorre em apenas 24 horas não faz sentido seguirmos o seu desenrolar durante 24 semanas. Com o DVD vemos a série ao nosso próprio ritmo. O meu é de 4 episódios seguidos.

Mal posso aguardar para ver Jack Bauer na clandestinidade, depois do asassinato do ex-Presidente Palmer.

BD: Borgia. por Manara e Jodorowsky

Borgia. Vol. 1: Sangue para o Papa

A saga dos Bórgia, família de poder e excessos que dominou Roma no final do séc. XV, fascinante dinastia entre o sagrado e o profano, sangue e volúpia, cinismo político, conjuras, traições, luxúria e libertinagem ilimitda, contada pelo traço de Manara e o argumento de Jodorowsky, dois mestres da BD.

No primeiro volume, já publicado entre nós, Rodrigo Bórgia é o centro da acção até à sua eleição em 1492 como Papa Alexandre VI. Pelo album passam os seus sete filhos, quatro deles filhos da sua amante Vannozza Cattanei. Lucrécia casa com Giovanni Sforza, e Cesare - futuro duque Valentino inspirador do Principe de Machiavelli , cardeal por oportunidade mas guerreiro na alma. Como pano de fundo um Savonarola que denúncia a decadência de Roma.

O livro,que vale pelas pranchas de Manara, sumptuoso e de cores fortes,a um só tempo maravilhoso e terrível., num grafismo que podemos qualificar de barroco,apenas dá umas pinceladas pela história de modo que para melhor seguir o enredo convém conhecer a História.


No segundo volume, apenas disponível na versão francesa, “O Poder e o Incesto”, seguimos o comportamento pouco ortodoxo do Papa Alexandre VI, a conduta escandalosa de Lucrécia e os primeiros Machiavelismos do Duque Valentino.

O terceiro e último volume está anunciado para o final deste ano.


Borgia. Vol. 1: Sangue para o Papa, na FNAC € 13.28

Borgia. Vol. 2: Le Pouvoir et L'Inceste, na FNAC € 13.76

quarta-feira, junho 14, 2006

QUARTO DE HOTEL ( 9) Excelsior Hotel Ernst



Membro dos Leading Hotels, o Excelsior Hotel Ernst é o local certo para pernoitar em Colónia ( excepto em tempo de Mundial). Idealmente localizado em frente à catedral, e a 200 metros da Estação de Comboios, o melhor meio para chegar a Colónia via TGV, que liga a cidade ao aeroporto de Frankfurt. Fiquei lá em Setembro de 2002, num périplo que fiz pela Alemanha, e que relembro agora neste mês de Alemanha.
Trata-se de um hotel clássico, com dois séculos de tradição, mas que tem todas as comodidades de um hotel moderno, com um serviço atento e irrepreensível.


Os quartos, de dimensões generosas, são confortáveis e funcionais. Dotados de plasmas, leitor de DVD,internet i-Fi, minibar grátis numa decoração sóbria e tectos bem altos. Banhos em mármore, com cabine de duche separada, alguns com hidromassagem.



O meu amigo Manuel tinha pedido dois quartos. Na pesquisa que fiz para este post vi que lhe ofereceram a suite com 160m2, com dois quartos excelentes, casa de banho principal com jacuzzi e uma sala enorme com um plasma gigante. Parecia um andar luxuoso no centro de Colónia. Acresce dizer que o preço da suite seria de 1700€ tendo ele pago 380€, equivalentes a dois quartos duplos. Como qualquer bom hotel, no Excelsior Ernst oferecem upgrades desde que haja disponibilidade. Por isso se algum dia lá ficarem, no check-in peçam um upgrade.


O spa é divino e o serviço de pequeno almoço digno de princesas.

Excelsior Hotel Ernst
Trankgasse 1-5/Domplatz, D-50667 Cologne, Germany
Quartos desde 150€, em Julho, na Expedia.

Prazeres da Bola

Um conhecido colunista, que muito prezo, escreveu num jornal desportivo que prefere umas sardinhas assadas aos jogos do Mundial. A conclusão a que se chega é que Miguel Sousa Tavares não gosta de futebol mas sim de vibrar com as vitórias do seu clube ( e sofrer com os insucessos).

Os verdadeiros amantes do futebol são pois aqueles, como o senhor da foto, que foram à Alemanha pelo jogo, mesmo que a equipa do seu país não esteja presente. E que vestem a camisola das selecções com que simpatizam. São inúmeros os escoceses e irlandeses que circulam pela Alemanha pelo prazer do Mundial. Muitos deles são fans de Portugal.

segunda-feira, junho 12, 2006

Ryanair


Viajei pela primeira vez na Ryanair, operadora de low-cost com crescente cota de mercado. Paguei 140€ por um Porto- Frankfurt(Hahn), aeroporto secundário a 100km de Frankfurt e 160km de Colónia, em pleno Vale do Mozelle.
O que me ofereceu a Ryanair? Um 737 com bom ar, com filas de 3+3 ( em vez do habitual 3+2), bom espaço para as pernas à ida, reduzido à vinda, bancos que não reclinam. Horários cumpridos escrupulosamente, o que vai rareando nos dias de hoje.
Como poupa a Ryanair? Cartões de embarque toscos, feitos à mão. Sem lugares marcados, embarque à salve-se quem puder, a pé pela pista ( à ida e à vinda), quase se cruzando passageiros que embarcam e desembarcam, pelo que o avião permanece muito pouco tempo em terra. Serviço a bordo pago, vendas a bordo e até raspadinhas.
Pela Lufhtansa o mesmo destino custava 300€. Por isso, 6ª feira volto a Hahn na Ryanair.

domingo, junho 11, 2006

Colónia é uma Festa

Depois de um voo tranquilo na Ryanair, um Opel Signum levou-nos pelo Vale do Reno até Colónia. Chegados ao centro ficamos com Portugal no Coração. O ambiente é de festa global, cruzam-se adeptos de várias nações. Vermelho e verde por todo o lado, Zés Pereiras animam a cidade e contagiam os alemães.

Paragem obrigatória no Früh, onde os finos e o Schweinaxe sao imperdíveis.

À sobremesa encontro e fotos com uma afável Merche, e uma caipirinha com o Miguel e a Arminda, simpáticos adeptos de Angola. Tempo ainda para uma conversa com irlandeses amigos de Portugal.
Hoje, depois de um sono retemperador, pequeno almoço ao meio dia, regresso ao Früh, e a festa continua. A praça da Catedral, imponente, parece os Aliados, o ambiente é fabuloso, mistura-se o povo com os colunáveis, que circulam anónimos. Meneses e Anjos, Marcelo e Toy, Laurentino e Durao. Alemães passeiam-se com camisolas do Cristiano Ronaldo e do Akwá.
E pelo meio o futebol. Tempo de partir para o Estádio, onde se espera que a festa continue.

sexta-feira, junho 09, 2006

Amanhã parto para Colónia para ver a estreia da Selecção Nacional no Mundial de Futebol. Vai ser a minha estreia em eventos deste tipo fora das nossas fronteiras. Tempo de emoções e de encontros, cruzamento de experiências e culturas, da beleza cromática das cores dos adeptos, fruh...ição total, verdadeiro palco global.

Claro que também pairam as ameaças dos hooligans e dos skins, e mais remotas, do terrorismo.

Oportunidade também para revisitar a beleza da Alemanha, e para pela primeira vez experimentar os voos low-cost.

De tudo isso espero ir dando conta durante a minha estada.

Travessias (I) Rio de La Plata

Aquando da minha visita a B.Aires e Carmelo tinha programado o transfer em ferry-boat tendo a viagem a duração de 3 horas, entre barco e automóvel. Quis o destino que no Rio de La Plata se levantasse uma das suas famosas "Sudestadas" que já atormentaram Fernão de Magalhães que por aqui procurou o seu estreito tornando a navegação impossível.

Foi-me então sugerido fretar um avião particular. Pensei então que deviam pensar que estavam a falar com o Mick. Mas não, o tal avião (avioneta) tinha oito lugares e o custo total da viagem era de 500€, pelo que dividindo o custo com amigos era até uma bagatela e sempre poderíamos contar que nas férias até fretamos um avião particular.

Lá nos levaram ao aeroporto, onde um rapazinho nos apanhou as malas, ficou com os passaportes e pediu para aguardarmos. Uns vinte minutos depois, estávamos a bordo para um voo de 30-40 minutos a cerca de 400m de altitude. O rapazinho ao lado do piloto.Voo suave, sem grandes turbulências lá aterramos no aeroporto internacional de Carmelo. Controlo de passaportes feito na pista, a free-shop de morrer e lá fomos até ao Hotel.
Claro que no regresso ninguém quis voltar de barco até porque o teco nos levava directos ao aeroporto internacional, o que nos garantia em relação ao barco mais uma manhã de piscina. Chegados ao aeroporto lá estava de novo o rapazinho. Embarcamos e afinal hoje o rapazinho era o piloto. E lá fomos, adultos e crianças apreciando a paisagem. Desta vez atravessamos Buenos Aires e espreitamos a montagem do concerto dos U2. E aterrar no internacional de Buenos Aires no nosso teco entre 747 é um gozo. Para além de nos sentirmos VIP ao sermos levados directamente da pista para o check-in do B.Aires-S.Paulo sem controlo de passaportes nem filas.

Já voei em avionetas em África, no Grand Canyon e aqui. E o prazer foi sempre igual. A sensação de voar é muito maior aqui do que num grande avião. Por isso, quando forem a Carmelo, já sabem...

segunda-feira, junho 05, 2006

QUARTO DE HOTEL ( 7) Four Seasons Buenos Aires

Sem o charme do Alvear Palace (falarei nele um dia destes), o Four Seasons Buenos Aires é uma excelente escolha em Buenos Aires.

Desde logo porque o nome Four Seasons está associado a qualidade e serviço irrepreensíveis.


Em Fevereiro tive oportunidade de lá ficar. Por coincidência a nossa permanência coincidiu com a dos Rolling Stones, o que emprestou um certo picante à estadia. Afinal, não é todos os dias que se chega a um hotel depois de um show de Tango com batedores de polícia (por engano o meu taxi intrometeu-se entre a polícia e o Mick) ou se espreita o jantar das pedras rolantes.


Peripécias à parte, o hotel é excelente, com quartos muito espaçosos, camas king-size, com vistas fabulosas para o Rio de La Plata (ou para os Stones) .


O Spa é magnifico, destacando-se a massagem inca "pachamama". Tem, claro, sauna, turco e área de relaxamento. No fitness ( com 700m2 ficamos cansados só de olhar).A biblioteca oferece livros, DVD e jornais, e tem internet grátis para "addicts". Apenas o pequeno almoço podia ser melhor.

Hotel amigo das crianças, para além de camas extra, tem roupões para crianças de 2 anos, brinquedos, PlayStation, filmes, leitinho e bolachas, tudo oferecido.



A piscina é lindissima e quem lá toma banho sente-se uma estrela. Fica situada entre o edíficio principal e um "palácio" do séc. XIX mandado construir por um marido apaixonado, e que o hotel comprou. Esse edíficio, a mansão tem as melhores suites do Hotel e salas de festas. Os Stones, claro reservaram tudo só para eles.